Condicionamento político nos media?

Enquanto está na forja uma revisão da carreira docente com pornográfico prejuízo salarial, a seguinte notícia ecoa em grandes parangonas por bancas de jornais e rodapés televisivos:

Os professores portugueses são os terceiros mais bem pagos no ranking dos 30 países da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económicos.


No entanto, uma leitura atenta do estudo apresentado permite desembuçar mais uma provocação a uma classe profissional espezinhada pelo poder nas últimas três décadas:

1- O ranking tem como valor de referência o Produto Interno Bruto (PIB) per capita de cada país, logo como o nosso é tão pequeno somos apenas ultrapassados pela Coreia e pelo México.

2- O referencial que a OCDE está a utilizar é o dos professores em topo de carreira, mas na realidade a generalidade do professores desde o início até mais de meio da carreira tem remunerações muito baixas.

Fontes: Portugal Diário, Jornal de Notícias

Publicado por Nino 14:17:00  

5 Comments:

  1. aNtonio said...
    1-
    Normalmente nestes estudos o valor do PIB é modificado tendo por base uma comparação em termos de paridade do poder de compra - de forma a expressar o real valor do salario. Se se trata do Pib simples trata-se apenas de uma comparação simples que alguem resolveu transformar em analise dos salarios dos professores - para vender mais ou outron motivo.
    Se quer um exemplo, na Finlandia um professor ganha em media 2400 euros (anda por aí). Parece muito mas profissionais meniais ganham perto de 2000 euros (ex. extras) e o custo de vida é bastante elevado em consequencia dos salarios mais altos.
    Tonibler said...
    Aquilo que está a dizer é que está tudo correcto. O PIB revela a nossa capacidade de pagar os professores, logo se pagamos mais face ao PIB significa que nos custa mais a nós.

    Os professores em topo de carreira são a maioria nos outros países???

    O estudo deveria fazer a relação dos custos com os resultados obtidos, que é só isso que interessa. Certamente que chegaria à conclusão que os professores portugueses são pornograficamente bem pagos, para usar a sua expressão.
    Fernando Martins said...
    Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
    Fernando Martins said...
    1. Andei à procura do estudo no sítio onde devia estar e não o encontrei, como muitos outros professores.

    2. Sou professor há 16 anos, sou do Quadro, com Nomeação Definitiva, e recebo menos de 1/3 do valor referido no estudo.

    3. Porque será que os media, quando o governo precisa de cortar no que ganha um grupo profissional, publicam acriticamente e acefalamente estes estudos (similiares ao da produtividade dos Juízes, com menos férias judiciais...). E por que raio, se é preciso poupar, não começam os políticos profissionais por si próprios? Aliás foi referido muito recentemente que é precisamente ao contrário - os políticos, a si próprios, vão-se aumentando, aos outros, dizem que é preciso poupar...
    Dantas said...
    preciso ter muita lata. Ganhar duzentos contos ao fim de dez anos de trabalho e, desses, gastar cinquenta contos em transporte, é sem dúvida nenhuma um escândalo!
    Sou mesmo muito bem pago...
    Com tanto macaco a comer de todo o lado considero que não há nada mais escabroso do que os salários dos professores. Mas, descansem os invejosos, o governo está atento... assim depreende-se da reforma do estatuto da carreira docente que os professores mais antigos e que até ganham num patamar mais próximo do mundo civilizado vão continuar a viver ao pé da escola e com o mesmo vencimento... os outros, mais novos, com mais e melhores habilitações, que vivem muito mais longe da sua área de residência, etc, vai continuar a ganhar durante os próximos trinta anos esse grande salário que hoje auferem.
    É com muita tristeza que vejo chegar o meu país a esta decadência e sem vergonhice!!!
    Já sei... já sei... falo de barriguinha cheia... "Há tanta gente que nem trabalho tem...". A demagogia sempre foi a muleta de quem nada mais sabe dizer ou discutir. Um país que estabelece e se congratula com meta e objectivos como este é sem dúvida um país derrotado.
    P.S. - A ministra "acha", hoje no DN, "que não há professores deslocados", diz que não lhe constou nada... Apetece-me perguntar se ela já falou pessoalmente com algum! Se isto não fosse a realidade que me entra pelos cincos sentidos a dentro até me daria vontade de rir.

Post a Comment