Sobre o que se passa em Timor

Tenho apenas duas perguntas:

- Quem é que vendeu a Timor as armas que andaram a ser distribuidas aos civis?

- A GNR foi reconvertida para guarda pretoriana?

Publicado por irreflexoes 12:37:00  

21 Comments:

  1. sniper said...
    1ª)- A Austrália.
    2ª)- O nacional-porreirismo português em todo o seu esplendor.
    zazie said...
    não digam asneiras.Foram as Nações Unidas e as armas até são austríacas.

    A steiner é a mesma arma do filme assalto ao arranho céus.
    lusitânea said...
    A GNR está sob o alto comando de todos em especial dos Australianos...
    sniper said...
    Cara Zazie,

    A pátria das armas, não identifica forçosamente e imediatamente o fornecedor último e responsável das mesmas. Portugal fez durante a guerra colonial, operações muito especiais com armas de fabrico soviético e búlgaro, compradas por Portugal, principalmente na Guiné-Bissau, ou melhor dizendo fora das fronteiras desta ex-colónia. Aliás, são conhecidos os casos de extrema corrupção dos capacetes azuis, os quais se prestam aos mais diversos tipos de comércios. Transportar armas é algo que dá nas "vistas", pelo que foi muito mais prático comprá-las e "roubá-las" em Timor, tendo como grande financiador, patrocinador e "facilitador", a Austrália. As Steiner eram provávelmente as que havia em maior número no stock das UN..., :-).
    zazie said...
    Bem, eu já lhe respondi correctamente. Se você é mais um expert em Timor pelo que lê no jornal, passo.
    E olhe, fique atento que os PDs preparam invasão do parlamento para depois terem pretexto de invocar o não funcionamento das instituições e demitir o Mari.

    As milícias de que se fala foram legais e as armas são oferecidas pelas nações unidas como para toda a polícia.
    Que seja polícia a mais e armas a mais todos sabemos. Mas estamos a falar de um local que também não é nenhuma democracia.

    Para entender Timor só com conhecimento directo no terreno. E a primeira coisa é tirar da cabeça que existem os bons e os maus. Aquilo ainda está na fase de ajuste de contas inter-pares.

    E não existe nem sombra de espírito nacional. Por parte de ninguém.
    zazie said...
    mesmo a pergunta do post é disparatada.

    A GNR está sob as ordens do Ramos Pinto. Não está em serviço militar e é bom que não caia na esparrela de julgar que está que isso querem os PDs. O povo gosta dos GNRs e mandar exército para um país a meio de um golpe de Estado só de um louco.
    Mas quem não gosta mesmo nada dos portugueses é essa geração perdida dos PDs. E são eles a tropa de choque do Xanana para escavacar a Fretilin e demitir o Mari.

    Por alguma razão até chamou o Bacelar antes disto acontecer. Há que aconselhar legalmente com o autor da Constituição.
    zazie said...
    sniper,

    mas se a sua pergunta queria dizer por portas travessas que a Austrália está lá para apanhar os cacos e fazer de Timor protectorado, então está mais que certo.
    Pedro M said...
    Steiner é uma marca de instrumentos ópticos (e de cervejas)

    Steyr é uma fábrica de metalomecânica e fabrica, entre outras coisas a STEYR AUG.
    http://en.wikipedia.org/wiki/Steyr_Aug. Recorde-se que os Australianos produzem esta arma sob licença.

    Numa fotografia sobre as armas capturadas em TL podem-se ver FN FNC certamente o modelo indonésio Pindad SS-1.

    Como já alguém aqui o disse as coisas são tudo menos claras e nestas situações devem-se encarar estes detalhes com muito cuidado para não se fazerem extrapolações erradas.
    zazie said...
    errei o nome mas a arma é essa. Até são lindas as sacanas. Lembro-me de as ver em filmes. Mas são austríacas e para o caso não importa. O erro está em dizer-se que as milícias foram armadas ilegalmente. As milícias foram feitas por concurso e a partir daí estão legais. Tal como todos os polícias passaram a ter direito a armas e as nações Unidas é que entram com o dinheiro.

    Os motivos para a existências destas milícias é que são mais complexos.

    Há pelo menos 3 factores com justiifcações plausíveis.
    1- São eles quem conhece o terreno e para fazer vigilância de fronteiras os polícias que existiam não eram os mais indicados. Por um motivo também simples- eram os mesmos que trabalhavam para a Indonésia durante a ocupação. Grande parte deles até são indonésios.
    2- os tipos mais antigos das milílcias da resistência estavam mais ou menos atirados para o exílio e fizeram reivindicações. O argumento deles é o dos velhos combatentes_ "então vocês andam a sustentar estes traidores e a nós que fizemos a resistência atiram para a valeta?"

    3- O Alkatari decidiu integrá-los como milícias e armou-os para fazerem as tais patrulhas fronteiricas (acredito bem que a ideia não fosse apenas essa mas esta é a legal)

    4- Eles, como velhos militantes passam a fazer reivindicações e exigem mais dinheiro e depois o resto da história já se sabe.

    Extrapolar disto para a fábula do Xanana é não entender que um presidente se sabe que há ilegalidades não fica de braços cruzados`. E muito menos se lembra do facto quando está a legitimar um golpe de Estado Palaciano.
    zazie said...
    muito pior aconteceu com o Ramos Horta a dar patrocínio aqueles tipos que fizeram atentado em directo!

    O sujeito enfiou um arma na boca do outro e disparou-a em directo e Horta ainda o apoiou!
    zazie said...
    já agora,

    o post é tão ambíguo ou desinformado que nem explica que civis armados é que está a referir. Se são os de hoje convocados para boicotar o Parlamento esses são do PD que o é a tropa de choque do Xanana!

    O golpe até agora tem sido isto. Ir buscar os PDs desesperados, paralizar as instituições e levar o Mari a abdicar.

    O Bacelar até foi para lá para ensinar como é que a coisa se podia fazer de forma Constitucional, ia jurar. Pois se ele é que fez a Constituição e o Xanana chama-a quando isto está a rebentar...

    E se não fosse agora em Julho estava o Orçamento de Estado aprovado e a coisa era mais complicada porque parece que o Mari até queria saldar dívidas a tempo com os Australianos.

    E as companhias de exploração petrolífera também mudaram. O que antes interessava aos EUA não interessa agora...
    zazie said...
    é claro que o Mari também se estava a cuidar para as eleições. Disso não tenho dúvidas. O que é triste é não existir qualquer espírito nacional no meio destes ajustes de contas de tempos de guerrilha
    maloud said...
    Zazie
    Nunca fui a Timor, não conheço nenhum timorense e a informação que vou tendo vem dos jornais e dos blogs.
    Hoje li a Ana Gomes no Causa Nossa. Sei que a senhora, às vezes, é meia destrambelhada, mas julgo que tem obrigação de conhecer bem aquilo e duvido que faça lobby pela Austrália.
    zazie said...
    não é meio destrambelhada, é completamente e nem conhece grande coisa.

    Se quer um nome de alguém que por cá ainda está a par de alguma coisa (em termos estratégicos) tem o Ângelo Correia

    Ela não faz lobie por nada.Ela é parva. Estou de partida e também um tanto farta de falar de Timor.

    Afinal as pessoas são livres de se informarrem como bem entenderem e ninguém tem a obrigação de acompanhar a história de Timor de perto e há mais de 30 anos como eu.

    Fica um tanto cretino por que até parece que quero dar lições a alguém. Eu simplesmente estou um tanto por dentro por via de conhecimentos privilegiados e gosto muito de Timor.

    Só que torna-se um difícil ler tanto disparate e tanta invenção de quem não sabe nada e não corrigir.

    Mas já desliguei. Isto na blogosfera há que ser recatado. Da informação ao boato vai umn passo e eu nem tenho vocação pedagógica.

    É claro que quando apanho "historiadores" de aviário armados aos cucos a fazerem propaganda à custa do que desconhecem é outra história...

    Agora para as pessoas em geral, que sigam a Ana Gomes que venham para a janela com lençois ou alguidares de plástico a apoiar golpes palacianos de um disparatado que nem sentido de chefe de Estado tem, é com cada um.
    zazie said...
    os "historiadores de aviário" não era boca para ninguém da GL.

    Para que não haja também este tipo de confusões.

    Mas às vezes penso que se estes melros comentadores todos soubessem 1/10 do que eu sei já tinham arranjado maneira de se tornarem comentadores oficiais do Eixo do Mal ou outra cena no género

    ":O)))

    A minha cena é que é bem outra e está a milhas de politiquices.

    Agora conhecer a História de Timor até penso que quase que é "obrigação" de todos nós. Faz parte do nosso passado e ainda hoje é determinante para aquela gente.
    E é um pais espantoso. Um manancial de estudo de todo o tipo de questões. Olhe, até há por lá tribos que ainda vivem no neolítico!
    zazie said...
    mas não deixa de ter piada o efeito de vedetismo destas coisas. A Ana Gomes como é figura pública e esteve lá uns tempos passa por expert e até pode dar-se ao luxo de escrever anormalidades do género " se eu escrevesse no jornal aquilo que sei podia mudar a história de Timor e eu nem quero". Ou que esteve na montanha. Saber ao que ela chama montanha é que ninguém se lembra de perguntar. E o que acompanhou de Timor à parte a missão diplomática também não.

    Mas também não me interessa ir por aí.
    Quanto muito sou capaz de aconselhar o post do Gabriel Silva do Blasfémias que mesmo sem saber nada sabe pensar.

    E colocou o discurso do Xanana já traduzido o que é muito útil.

    O Gabriel é de poucas falas, mas tem um tipo de inteligência que muito aprecio- tem o vício do raciocínio e não se perde em palavras. Vai directo às questões de uma forma extremamente cool mas certeira.

    E até costuma ser melhor quando não está por dentro nem a coisa tem a ver com defesa de liberalismo ou qualquer outra ideologia.

    Fica apenas a cabecinha a trabalhar e a acertar no alvo.
    Pedro M said...
    Se eu lhe pedir por favor a Zazie pode continuar a comentar?
    ;)

    Se não for aqui, dê a honra ao Fórum Defesa de ter o seu contributo.
    http://www.forumdefesa.com/forum/
    sniper said...
    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
    zazie said...
    obrigada Pedro.
    Estou de partida

    Sniper, recomendo-lhe a leitura do post do Dragão

    De qualquer forma há uma regra que não tenciono voltar a furar. Na blogosfera não devem existir questões pessoais. Posso debater, informar ou criticar mas podem esperar sentados se estão há espera que me justifique ou invoque as tais "cenas" privadas.
    zazie said...
    ah... e ainda li o comentário do sniper e por isso é que lhe recomendei o post do Dragão

    ";O)
    sniper said...
    Zazie, tudo bem. Cada um tem os seus " esqueletos no armário", e eu tenho os meus. Fico satisfeito de ter lido o meu comentário sem o "comentar", depois de eu o ter eliminado. Zazie, cada um de nós tem a sua "cena", e a minha já tem uns "anitos", mas com "up grades" constantes, o que por vezes para mim, se torna complicado mantê-la controlada...
    Se está de partida para férias, divirta-se e descanse.

Post a Comment