Um Disparate Acidental...

Manuel Castelo-Branco, um dos acidentais de serviço meteu os pés pelas mãos, no que a admissão de funcionários públicos diz respeito. Demasia programação para minorias dá nisto.

No período compreendido entre 1996 e 2001, governos comandandos pelo Eng.Guterres, a função pública teve um crescimento líquido ( admissões - rescisões ) de 133.536 funcionários. O ano de 2000, bateu todos os recordes com um crescimento líquido de 38.292 funcionários.
No período compreendido entre 2001 e 2004, os governos do PSD, primeiro por Durão Barroso e depois por Santana Lopes, tiveram um crescimento líquido negativo de 33.390 funcionários públicos.
A direita podia de facto não estar preparada para governar, mas não é por aqui que lá se chega.

Publicado por António Duarte 09:53:00  

6 Comments:

  1. Rui MCB said...
    Já agora um disco pedido: e quantos dos 133mil de Guterres haviam sido contratados a prazo de longa duração pelo Estado (e portanto colocados de fora dos números "homólogos" destas contas) nos Governos de Cavaco?
    FORMIGA BARGANTE said...
    Meu caro RUI MCB

    Se não estou enganado, as admissões no tempo de Cavaco nem sequer eram feitas com contratos de longa duração, mas sim a "recibo verde", o que, legalmente, provoca duas situações contratuais muito distintas.

    E reforço o seu pedido ao António Duarte: quantos dos 133.000 novos funcionários públicos supostamente admitidos por Guterres vinham, em "recibo verde", do tempo de Cavaco ?
    irreflexões said...
    Oh meu caro António,

    O que é que um amigo pode dizer numa situação destas?

    Quem boa cama faz ... Boas respostas!
    António Duarte said...
    Estimados

    Que parte do texto "Da parte crescimento líquido(admissões-rescisões)" vos leva a crer que foram 133 mil novos empregos ?

    O que está no texto e que nos governos de Guterres, o crescimento líquido de funcionários públicos foi de 133.000.

    e.g. Até podem ter entrado 233.000 mas sairam 100.000
    Rui MCB said...
    Não percebi a tua resposta.
    Repito noutros moldes:
    E que parte dessa "líquidez" foi gerada por via da legalização de avençados e contratados a prazo?
    Um abraço.
    FORMIGA BARGANTE said...
    "Faço minhas as palavras do orador anterior".

    Nota: Frase muito em voga nas assembeias gerais de vários tipos, quando alguém não tem nada para acrescentar, mas quer dar nas vistas.

Post a Comment