Diálogos à portuguesa ou o sonho de qualquer boy


O Rui enviou um conjunto de questões (corriqueiras, simples) ao secretário-geral do Serviço de Informações da República Portuguesa (SIRP), Júlio Pereira. Vamos ver uma resposta, publicada esta semana na revista Visão

Perguntou-se quantos elementos compõem o gabinete do secretário geral, quais as funções que desempenham, quem os nomeou, remunerações, curriculum e medidas de segurança de acesso ao gabinete de Júlio Pereira.

Resposta: “O secretário geral do SIRP dispõe, de acordo com o artigo 19º/2 da Lei Quadro do SIRP, Lei 30/84, de 5 de Fevereiro, na redacção dada pela Lei Orgânica nº4/2004, de 6 de Novembro, de um gabinete cuja organização e funcionamento se regulam pelo regime dos gabinetes ministeriais, contifo no DL nº262/88, de 23 de Julho. A composição do gabinete obedece estritamente ao disposto neste diploma. O despacho de nomeação do chefe de gabinete pode ser encontrado no Diário da República, nº189, de 30 de Setembro de 2005. Os despachos de nomeação dos restantes membros do gabinete não foram publicados por motivos de segurança, em aplicação conjugada do disposto no artigo 58º do DL nº225/85, de 4 de Julho, na redacção introduzida pelo DL nº245/95, de 14 de Setembro, no artigo 59º do DL 254/95, de 30 de Setembro e no artigo 32º da Lei 30/84, de 5 de Setembro, na redacção da Lei Orgânica nº4/2004, de 6 de Novembro. As remunerações dos membros do gabinete são as constantes no DL 25/88, de 30 de Janeiro, em articulação com o disposto no DL nº 262/88, de 23 de Julho. Por motivos de segurança, é política do gabinete so secretário-geral do SIRP não revelar a localização precisa do seu gabinete, nem as características das medidas de segurança que eventualmente o envolvam”.

Publicado por Carlos 20:30:00  

7 Comments:

  1. esgoto said...
    um excelente rally-paper! é só seguir as pistas, et voilà!
    cócó said...
    Não acredito!!! É demais!

    As publicações humorísticas não processam esse senhor por concorrência desleal?

    (corriqueiras...)
    Carlos said...
    gracias pelo corriqueiras.
    Coutinho Ribeiro said...
    um homem que sabe tantas leis só pode ser um cérebro iluminado.
    Anónimo said...
    Porque razão o Sr. Pinto da Visão não vai perguntar à despeitada que lhe "plantou" o boato travestido.
    Não é o Secretário-Geral que tem de responder ao Sr. Pinto. É este que tem de provar a afirmação de que o Secretário-Geral criou uma "secreta" clandestina. Pela última Visão percebe-se que o Sr. Pinto não tem nada... e tenta, tão só, distrair as pessoas. É a consabida técnica da fuga dos cobardes e dos mentirosos.
    Anónimo said...
    Os autores das falas de Sir Humphrey, no "Sim, senhor ministro" desceram na minha consideração, afinal inventar aquele palavriado pouco tem de criativo, é só transcrever os textos sagrados destes religiosos.

    diogenes
    Anónimo said...
    "Despeitada". Diz tudo meu caro anónimo. Para bom entendedor basta. Já agora quem foi, quem foi que há pouco tempo deu uma entrevista algo "vaidosa" à "referência" do jornalismo português Sr. Costa Pinto.
    Por último as questões levantadas pelo jornalista são tudo menos "corriqueiras". Tente obter esse tipo de informações junto de outros serviços secretos. Olhe que é melhor esperar sentado.
    Já agora, eu devo estar equivocado, certamente que sim, mas julgava que a fiscalização era feita por uma Comissão eleita pela AR e não pelo 24 Horas, Visão ou outro pasquim qualquer em quebra de vendas. Já se esqueceram concerteza do episódio Veiga Simão, ou se calhar era mesmo repetir esse triste espisódio que alguns "patriotas" desejariam.

Post a Comment