o que dá que pensar ...

O chamado processo de Bolonha é uma imposição burocrática que visa tornar compatíveis entre si os sistemas de ensino superior dos Estados europeus e permitir – alegam os governos – a mobilidade académica e profissional. Mas este processo é inútil. Como sabem todos aqueles que estão dentro do ensino superior, o facto de não existir até agora essa compatibilização dos sistemas nunca impediu os interessados de tirar cursos de graduação ou pós-graduação noutros países, de dar aulas nesses países, de ter projectos de investigação internacionais, etc. Também não é a falta de compatibilidade dos sistemas que impede os interessados de encontrar trabalho no estrangeiro. Os obstáculos à mobilidade sempre foram os do desconhecimento da língua e das características próprias dos outros países e, sobretudo, a preferência que os países dão aos seus nacionais no acesso à educação e ao trabalho. Nada disso mudará com Bolonha.

in Diário Económico

Publicado por contra-baixo 18:51:00  

1 Comment:

  1. concha said...
    O processo de Bolonha é muito mais do que 3+2 ou 4+1 . Trata-se de aprendizagem e não de transmissão de conhecimentos.
    Os nossos professores universitários falam disso?Não é só questão de licenciaturas, mestrados e doutoramentos. E o aprender a aprender?

Post a Comment