Sensibilidade e bom senso

Ninguém duvida da coragem física de Francisco Assis, não foram as ameaças e a antevisão do risco que o impediram de ir dar o corpo ao manifesto a Felgueiras, penso é que é despicienda a acusação “tem medo de ir ao Bolhão” dirigida a Rui Rio. Sabe Francisco Assis muito bem que caso este se deslocasse ao mercado do Bolhão, encontraria uma ambiente de grande hostilidade que rapidamente descambaria para a agressão física e verbal, podendo, em última análise, ser considerado um acto provocatório, caso o actual presidente da CMP fosse acompanhado pelos elementos da Polícia Municipal para lhe garantir segurança. Por este andar da carruagem só falta mesmo um dia destes Francisco de Assis ir assistir a um jogo no Dragão no meio da claque dos SD, desafiando Rui Rio a proceder da mesma forma ou acusando-o de não ter #### para fazer o mesmo. Acontece que esta não é uma forma decente de fazer política.

Publicado por contra-baixo 16:10:00  

2 Comments:

  1. Teófilo M. said...
    Mário Soares em época que já lá vai, deslocou-se à Marinha Grande, mesmo depois de ameaçado publicamente.

    Freitas do Amaral e a direcção do CDS fizeram um comício no Palácio de Cristal sabendo que iriam ser incomodados pela população em geral e viram alguns automóveis queimados e só saíram sob escolta militar.

    Sá Carneiro e a ala liberal foram ameaçados muitas vezes e não foi por isso que deixaram de lutar pela democracia.

    Há muitos mais exemplos, e no Bolhão ninguém come ninguém, são mais vozes do que nozes.

    Rui Rio, é um personagem que se refugia atrás de protecção policial mal vê alguém tentar falar com ele; já nem é facto novo, por isso tentar defendê-lo é apenas ter vontade de esquecer a sua falta de qualidade.
    chuta pro tecto said...
    P.F. Não comparem o incomparável!
    Como se diz no texto ou ía sozinho e sujeitava-se, ou levava protecção e seria ainda pior por poder ser considerada uma provocação.
    No final foi um acto de bom senso.

Post a Comment