De que fala Nabokov?

Tais pessoas eram capazes de sonhar, mas incapazes de governar. Destruíam as suas vidas e as dos outros. Eram tolas, fracas, fúteis, histéricas; mas, por trás de tudo isto, ouve-se a voz de Tchékhov: abençoado o país que soube gerar este tipo humano. Eles deixavam escapar as ocasiões, evitavam agir, não dormiam à noite inventando mundos que não sabiam construir; mas a própria existência destas pessoas, (...) é uma promessa de um futuro melhor, (...) porque de todas as leis da natureza, a mais maravilhosa é talvez a da sobrevivência dos mais fracos.

Do prefácio de Vladimir Nabokov nos Contos de Tchékhov, Vol. I

Com esta citação entro na roda dos blogs e inicio colaboração aqui nesta Grande Loja, aproveitando este entrementes para saudar vivamente todos os fraternos Irmãos, que na maioria desconheço (ainda) pessoalmente.

Igualmente desejo ressalvar a total independência deste escriba de todas as visões, opiniões e posts aqui expostos, como da mesma forma a minha colaboração teve recomendada liberdade total de acção e pensamento. É este, julgo eu, um dos maiores trunfos da blogosfera, que torna possível reunir em torno de uma casa acolhedora, um corte transversal confluente ou divergente das formas de civilidade em Portugal. Espero contribuir aqui com a minha humilde tempestade de pensamentos. Resumir-me-ei a um foro mais pessoal e intimista. Livros, discos e utopias.

Entretanto a dúvida persiste: De que fala Nabokov? De Portugal, de uma freguesia, de uma agremiação cultural ou da forma como um dono de café trata a cozinheira? A indecisão, como de direito e nação, assiste-nos.

Estevosso, Visconti.


Publicado por Visconti 14:35:00  

3 Comments:

  1. josé said...
    Pois seja bem vindo, Visconti. Não faço a mínima ideia de quem seja e esta Loja continua a alargar balcões de franchise, sob a supervisão do gerente que não interfere nos produtos franchisados.
    Noutra metáfora,isto torna-se cada vez mais num impressionante jornal de parede, com lugar para comentários.
    Só aqui, na blogosfera, isto é possível. O meio, aqui, não é a mensagem. COntrariamos assim a ideia de MacLuhan e por mim, ainda bem.
    Gomez said...
    Bem vindo Irmão Visconti! E parabéns pela estreia.
    zazie said...
    seja bem-vindo caro Visconti! um Visconti é sempre uma raridade, será que vem como Gattopardo?
    ";O)

Post a Comment